Blog
>
Gestão de Clínicas
>
Conheça 7 vantagens de utilizar o prontuário eletrônico do paciente

Conheça 7 vantagens de utilizar o prontuário eletrônico do paciente

Por:
Filipe Horta
Tempo de leitura:
9 minutos
Categoria:
Gestão de Clínicas

O prontuário eletrônico do paciente (PEP) é um recurso digital que substitui as antigas fichas de papel. A ferramenta já é utilizada em todo o Brasil, especialmente por facilitar o trabalho dos médicos e trazer eficiência à gestão de clínicas e consultórios.

Para ter uma ideia, uma pesquisa da Accenture revelou que 23% dos médicos usam ferramentas digitais. Os principais fatores de justificativa são:

  • inserção eletrônica de observações sobre os pacientes (61%);
  • uso de ferramentas eletrônicas de administração (38%);
  • acesso a dados clínicos sobre pacientes atendidos por outra organização de saúde (27%);
  • recepção de resultados clínicos no PEP (24%);
  • apoio nas decisões clínicas (24%).

Dentro desse escopo, o PEP tem uso crescente, justamente porque ajuda na prestação de um atendimento de qualidade e inserir seu negócio no conceito de saúde 4.0. Quais são as reais vantagens desse sistema? Vamos apresentar as 7 principais neste post. Veja!

1. Manutenção de registros do paciente

O prontuário eletrônico armazena o histórico de informações do paciente por tempo indeterminado. Isso significa que ficam cadastrados resultados de exames e procedimentos realizados, além de consultas feitas e dúvidas do médico que foram anotadas. O acesso é feito de maneira fácil. Basta entrar no sistema.

Mais que simplificar a verificação dos dados, você também evita manter vários papéis. Além de representarem um gasto, exigem espaço físico de armazenamento e organização — caso contrário, a consulta se torna complicada.

2. Aumento da agilidade do atendimento

Todos os processos realizados com a ajuda do PEP são agilizados. No caso dos exames, por exemplo, basta deixar separados aqueles que são obrigatórios e solicitar a impressão. É o caso dos procedimentos necessários para as grávidas, que devem ser executados durante o pré-natal.

Isso evita que você tenha que escrever os pedidos um por um. Cada solicitação é personalizada, de acordo com sua demanda. Ao mesmo tempo, você agenda as sessões e solicita autorizações para o plano de saúde, quando necessário.

Outro fator de agilidade do atendimento é o acompanhamento o fluxo do paciente dentro da clínica. Com esse monitoramento, você comprova as etapas e evita a glosa, ou seja, o não pagamento por parte das operadoras de saúde.

Com o prontuário eletrônico do paciente, ainda existem vários modelos salvos que podem ser utilizados conforme a necessidade. Isso evita o preenchimento de vários campos iguais todos os dias.

Com isso, você acessa as informações de qualquer dispositivo com internet e o PEP se equivale a um banco de dados de qualidade. O resultado é uma precisão maior nos diagnósticos, com aumento da satisfação do paciente.

3. Atenção maior às demandas do paciente

A relação entre médico e paciente fica fortalecida com a ajuda do prontuário eletrônico. A plataforma mantém o registro de todas as interações realizadas e os dados ficam integrados.

Os registros ficam armazenados em um sistema seguro e sigiloso. No entanto, fica acessível a qualquer momento. O médico ainda gera relatórios e gráficos automáticos, que permitem ter uma visão mais ampla e gerencial dos atendimentos realizados.

4. Centralização das informações sigilosas

Os dados dos pacientes são sigilosos e precisam ser mantidos dessa forma. Com um sistema adequado, as informações são protegidas por criptografia, um recurso que impede a leitura dos arquivos em caso de invasões.

Com o prontuário eletrônico do paciente, o acesso é rápido e aumenta a capacidade de atendimento da clínica. As informações estão em rede e podem ser compartilhadas com outros profissionais, ao mesmo tempo que evita a visualização de pessoas não autorizadas.

Na prática, você tem a chance de fazer diagnósticos conjuntos e remotos, além de poder anexar documentos e resultados de exames para ter um diagnóstico preciso.

5. Redução da possibilidade de erros

Falhas podem acontecer em qualquer processo da sua clínica. No entanto, esses erros podem gerar problemas graves e capazes de prejudicar o tratamento de saúde do paciente. É aí que o PEP entra.

Por melhorar a comunicação interna da clínica ou do consultório, as informações são atualizadas em tempo real e ficam acessíveis. Isso significa que todas as pessoas envolvidas sabem o que já foi feito e o que ainda precisa ser realizado.

Caso exista alguma mudança de planos, uma emergência ou um cancelamento, é possível comunicar o outro profissional com rapidez, a fim de evitar deslocamentos necessários. Da mesma forma, são impedidos erros de transcrição e legibilidade. Essa medida é importante para evitar atrasos no atendimento e na realização de atendimentos.

6. Dinamicidade do atendimento

O atendimento ao paciente se torna mais dinâmico com o PEP, o que aumenta sua qualidade de vida e os horários disponíveis na sua agenda. Cada profissional tem seu login e senha no sistema, e suas atividades ficam registradas.

Quando alguma atualização é feita por um usuário, o prontuário eletrônico do paciente é modificado para todos. Assim, há menos chance de serem usadas metodologias diferentes para registrar as informações.

Ao médico, isso representa mais segurança para o diagnóstico, porque há mais informações para subsidiá-lo. Além disso, as requisições de exames e as fichas clínicas são padronizadas. Com isso, deixam de haver inconsistências de cadastros e outros problemas.

7. Facilidade de controle epidemiológico

Se você trabalha em uma especialidade em que ocorrem epidemias, o prontuário eletrônico do paciente é uma maneira de garantir a análise de diagnósticos e atendimentos. A partir desse recurso, o controle se torna maior.

Como? Por meio da aplicação de filtros, os pacientes são selecionados a partir de enfermidade e região. Assim, você tem uma visualização clara de afetados ou de tendências de epidemias.

Mais que isso, é a oportunidade de mapear regiões de onde vêm os pacientes com certa doença. O resultado é uma identificação precoce de epidemias.

Vale a pena lembrar ainda que, em caso de doenças não epidêmicas, mas cujo histórico familiar é positivo para o paciente, o PEP contribui para o acompanhamento da evolução do problema ou dos fatores de risco.

É o caso de cardiopatias. O médico tem no prontuário eletrônico do paciente todos os registros de exames relevantes, como ecocardiografia, de sangue para verificar colesterol e outros. Se houver mudanças, ainda que mínimas, é possível acender um sinal de alerta e fazer as modificações necessárias antes de ocorrer algum problema maior.

Percebe como o prontuário eletrônico de paciente é relevante? Com a ajuda da tecnologia, você faz um acompanhamento mais próximo e que surta resultados positivos na prevenção de doenças e monitoramento de indicadores. Tudo isso se reflete em melhoria da saúde e fidelização com o atendimento.

Achou interessante conhecer mais sobre o PEP? Compartilhe este texto nas suas redes sociais e discuta com outros profissionais sobre as vantagens dessa ferramenta!

Se você tem interesse em entender quais são os melhores vínculos para um médico, confira o nosso e-book completo sobre o assunto:

Acesse outros conteúdos dessa categoria: