Blog
>
Investimentos
>
O que um médico precisa saber sobre mercado de capitais?

O que um médico precisa saber sobre mercado de capitais?

Por:
Samuel Chagas
Tempo de leitura:
9 minutos
Categoria:
Investimentos

Talvez você nem imagine, mas um médico também precisa entender o funcionamento do mercado de capitais. Além de poder atuar como investidor, esse profissional também pode se beneficiar de outras formas dos valores envolvidos nesse ambiente.

Como? Vamos explicar melhor neste post. Entenda o conceito de mercado de capitais, seu funcionamento e outros detalhes. Acompanhe!

O que é mercado de capitais? 

O mercado de capitais é o processo que abrange as transferências de recursos dos agentes superavitários — isto é, os poupadores — para os mais diversos setores da economia que carecem de investimento. Sem esse mecanismo, as empresas encontrariam bastante dificuldade para conseguirem um financiamento. 

Afinal, mesmo com o mercado de crédito, dificilmente algum banco custearia uma operação de longo prazo. Além disso, os juros cobrados são exorbitantes e impactam a geração de caixa das companhias. 

Na prática, o que acontece é que, para receber os aportes necessários para expandir a sua clínica, você teria que pagar muito mais pelo mercado de crédito, sem contar que teria dificuldades em obter o empréstimo. Por sua vez, o mercado de capitais facilita a operação.

Os bancos de fomento, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), até poderiam suprir esse papel. No entanto, a escassez de recursos gerada nessa situação impediria o desenvolvimento de vários players bem-intencionados e promissores.

Para operar, esse mercado é composto por investidores, companhias, bolsa de valores, corretoras e bancos de investimento. Todos são fiscalizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e regulados pelas diretrizes do Conselho Monetário Nacional(CMN).

O último é o órgão máximo do Sistema Financeiro Nacional (SFN). Nesse ambiente, todas as entidades se interligam em uma cadeia que garante sustentabilidade e credibilidade às transações. Assim, essa conexão é um pilar fundamental para o avanço do Brasil e funciona como uma espécie de motor.

Quais são os ativos negociados no mercado de capitais?

Existem quatro principais ativos negociados nesse ambiente. Esses produtos consistem em valores mobiliários e têm características diversas. Entenda cada um deles!

Ações

São participações em companhias articuladas em forma de Sociedade Anônima (SA) e representam a menor fração do capital social da companhia. Fazem parte da renda variável, pois as cotações, negociadas na B3 (bolsa de valores brasileira) estão sujeitas à oferta e demanda, que determina seu valor de compra.

Para serem determinados, esses valores estão atrelados ao valor intrínseco e à capacidade de geração de caixa das companhias. Ainda é considerado quão perene é o negócio desenvolvido e sua suscetibilidade a enfrentar ciclos desfavoráveis. Em outras palavras, quanto mais financeiramente sustentável for uma empresa, mais bem negociados serão suas ações.

Debêntures

São títulos de renda fixa, de crédito privado, e consistem em uma dívida que a empresa assume com o tomador. As debêntures estão atreladas a uma taxa de juros — o chamado cupom —, que incide sobre o montante principal. 

O credor — também conhecido como debenturista — é remunerado pelo capital investido. Por sua vez, a empresa acredita que os lucros oriundos desse financiamento serão mais vantajosos que o custo da dívida.

Esse tipo de aplicação financeira está atrelado a diferentes garantias. Elas são definidas pelo Conselho Administrativo da empresa e têm o dever de resguardar o investidor. Por isso, precisam ser analisadas de maneira cautelosa para avaliar qual investimento é mais adequado de forma a mitigar o risco. 

Nesse momento é importante lembrar da regra do mercado: quanto maior o potencial de retorno, maior o risco. Por isso, debêntures menos seguras devem remunerar o credor com taxas mais altas. No entanto, a escolha deve ser feita de acordo com seu perfil de investidor, isto é, tolerância a perdas.

Commercial papers

São similares às debêntures, porém utilizadas no curto prazo para financiar o capital de giro, isto é, o dinheiro necessário para manter sua clínica ou consultório em funcionamento.

Fundos imobiliários

Representam a cotas de empreendimentos, assim como as ações. A diferença é que essas  frações são referentes ao mercado imobiliário. Consistem em uma excelente alternativa para obter uma renda passiva por meio dos rendimentos provenientes dos aluguéis. 

Para entender, basta ver o funcionamento dos fundos imobiliários. Eles são iguais a um condomínio. Você adquire uma ou mais cotas e elas são gerenciadas por um gestor especializado. Assim, o retorno obtido é o lucro dos investidores.

Outra vantagem dos fundos imobiliários é que são consideravelmente mais líquidos, ou seja, as cotas se transformam em dinheiro com mais facilidade. Isso acontece porque eles são negociados em bolsa e estão sujeitos a oferta e procura orgânica, o que não ocorre com os empreendimentos tradicionais.  

Por exemplo, vamos supor que a MedCapital organize um fundo imobiliário focado em shopping center. Os 5 maiores empreendimentos desse tipo no País são adquiridos e é cobrada uma taxa de administração e gestão. 

Parte do rendimento obtido com os aluguéis é distribuída para os cotistas, de acordo com a proporção de cada um. Dessa forma, há uma democratização maior desse investimento, inclusive porque é possível ser cotista de algum fundo com apenas R$ 100,00.

Existem outros produtos como os Exchange Traded Funds (ETFs), os derivativos e os direitos de subscrição. Entretanto, esses são menos populares.

Como o mercado de capitais é dividido?

Operar no mercado de capitais depende de entender sua divisão. Ele é categorizado da seguinte forma.

Mercado primário

Faz alusão à primeira colocação dos títulos no mercado, quando o emissor busca fazer sua captação de dinheiro. No caso das ações, mais difundido, a oferta ocorre por meio de uma Oferta Pública Inicial (IPO), em inglês Initial Public Offering. Dessa forma, a empresa passa a ser negociada na bolsa de valores. 

Para realizar esse processo, a companhia contrata bancos coordenadores. Eles chegam a um acordo a fim de determinar as diretrizes desse lançamento. Cabe ressaltar que esse processo nem sempre é de uma empresa que não estava negociada na bolsa. Uma companhia já listada pode abrir ainda mais seu capital com a emissão de novas ações. 

As debêntures passam por um processo similar. Porém, elas têm um prazo de vencimento. Por isso, a depender da emissão, são resgatáveis em data definida. Isso não acontece com as ações, porque elas representam frações do patrimônio da empresa. 

Com isso, vários investidores poderiam ter receio dessa modalidade de investimento devido ao risco de liquidez. É nesse momento que se torna importante o mercado secundário.

Mercado secundário

É o ambiente no qual os investidores fazem transações dos valores mobiliários já adquiridos. O mercado secundário garante a liquidez e traduz o estereótipo das bolsas de valores em todo o mundo retratadas em vários filmes.

Mais importante que isso, o mercado secundário serve como um termômetro da economia de maneira mais emotiva e intensa. Ele apresenta como as maiores empresas estão sendo negociadas e elas são as responsáveis por grande parte da geração de emprego, inovação e valor. 

Por esse motivo, elas refletem o ciclo econômico vivenciado e mostram como está a economia no momento. Ainda podem antecipar muitos negócios — isto é, os investidores adquirem ações para se tornarem sócios da empresa —, devido ao potencial da companhia de trazer bons resultados no futuro.

Assim, o mercado de capitais tem um funcionamento próprio e ajuda as empresas que precisam de dinheiro para financiarem suas operações. É só começar a investir e esperar o retorno.

Quer saber mais sobre investimentos, gestão financeira para sua clínica e outras informações relevantes para seu negócio e sua rotina? Assine nossa newsletter e receba os conteúdos no seu e-mail!

Acesse outros conteúdos dessa categoria: